(27) 3361-6728

A RÁDIO DO POVO!

 

 

A conversa foi gravada meses antes do crime, e Milena narra tudo o que Hilário Frasson fazia contra ela, inclusive em relação a rastreamento de mensagens

Um áudio de Milena Gottardi, de 38 anos, gravado meses antes de ela ser assassinada revela como a médica estava com medo do ex-marido. Ela fala com os sogros sobre as ameaças e a perseguição de Hilário Frasson, 44 anos.

Ele me queria a todo custo, entendeu? Você sabe disso. Você sabe que eu tive que ir no juiz para pedir para sair de casa. Para poupar as nossa filhas, a neta de vocês. Ele falou nessa mesa que ia dar um tiro na cabeça dele, com a filha aqui ouvindo. Gritando

No áudio, ela também fala sobre a perseguição do marido. "Sabe o que ele fez? Ele colocou no meu computador de trabalho uma senha e rastreou todas as minhas conversas do WhatsApp. Eu andava na rua e achava que estavam me perseguindo".

E relata a dificuldade que teve para conseguir um advogado.

Me disfarcei. Tive que entrar no hospital e trocar de roupa porque eu sabia que tinha alguém me vigiando

Milena contou que o ex-marido lia as mensagens, inclusive de pacientes. "O celular é um instrumento meu de trabalho. Tem mensagem de paciente que é confidencial e ele fez isso". 

Ainda sobre a dificuldade de contratar um advogado, Milena contou aos sogros que Hilário passava nos escritórios de Vitória e contratava advogados para dificultar que ela conseguisse algum. "Ele ia falando que o senhor ia pagar para ele para eu não ter advogado para conseguir. Vocês acreditam que ele fez isso? Isso vocês não estão sabendo", disse.

Milena disse também que o Hilário falava que ele tinha uma liminar que dava a guarda total das filhas para ele e que ela não tinha condições de ficar com as crianças. Neste momento da conversa, o sogro disse: "Isso é bobagem". Porém, a médica prosseguia: "Ele me fez refém dentro de casa. Então, como que eu fico do lado de uma pessoa que eu não confio?".

Segundo um parente da vítima, o áudio foi gravado no apartamento de Milena no mês de abril. Na ocasião, ela tinha se separado de Hilário e os sogros foram pedir para que ela não se separasse do policial civil. “Eles chegaram com Hilário sem avisar no apartamento, por volta das 6 horas, e ela estava saindo para ir ao trabalho”, afirma.

LEIA A CONVERSA NA ÍNTEGRA

Milena:

Ele estava arrumando testemunha para testemunhar contra mim. Alguém aguenta, B. (sogra de Milena)? Olha a maldade no coração dele. Ele me queria a todo custo, entendeu? Você sabe disso. Você sabe que eu tive que ir no juiz para pedir para sair de casa. Para poupar as nossa filhas, a neta de vocês. Ele falou nessa mesa que para resolver o problema teria que dar um tiro na cabeça dele, com a filha aqui ouvindo. Gritando.

Uma mulher pode aguentar um negócio desse? Um homem dentro de casa e eu pedi para minha mãe vir aqui porque estava com medo dele. Como que eu fico com um homem desse?

Sabe o que ele fez? Ele colocou no meu computador de trabalho uma senha e rastreou todas as minhas conversas do WhatsApp. Eu andava na rua e achava que estavam me perseguindo. Sabe o que eu fiz para conseguir um advogado? Me disfarcei. Tive que entrar no hospital e trocar de roupa porque eu sabia que tinha alguém me vigiando. Depois que eu vi meu celular, eu pegava as mensagens e ele já tinha lido. O celular é um instrumento meu de trabalho. Tem mensagem de paciente que é confidencial e ele fez isso.

Ele foi nos advogados de Vitória e foi contratando, ele ia falando que o senhor ia pagar para ele para eu não ter advogado para conseguir. Vocês acreditam que ele fez isso? Isso vocês não estão sabendo.

Ele falou comigo que tinha uma liminar na mão dando a guarda total das meninas para ele, que eu não ia ter direito de ficar com as crianças, que eu não tenho condição de ficar com as crianças.

B. (sogra de Milena)

Isso é bobagem.

Milena

Ele me fez refém dentro de casa. Então, como que eu fico do lado de uma pessoa que eu não confio? Sabe o que ele fez? Abre ali, não tem um documento, ele carregou tudo no dia que a gente brigou. Eu pensei: esse homem vai pegar as meninas e fugir com elas. Eu fiquei doida. Foi naquele dia que eu fui no advogado.

Não dá mais para ficar aqui, porque estou levando X (filha) na psicóloga, foi eu e ele e a gente contou tudo para a psicóloga. Ela disse: ‘olha gente, isso vocês vão decidir, eu vou pedir uma coisa para vocês: livrem x (filha) de toda discussão que vocês tiverem, para ela não achar que a culpa é dela’.

Pois ele não conseguiu fazer isso, ele andava na rua com o telefone gritando, ameaçando e falando um monte de besteira. Como que eu fico do lado de um homem que eu não confio? Como que eu fico do lado do homem de denegrir o que eu tenho de mais sagrado, que é minha função como mãe.

Ele nunca podia ter feito isso comigo, nunca ter ameaçado que iria tirar as crianças de mim. E passando essa vergonha tá? Eu ando aqui na rua e saiu colhendo testemunha. Vai testemunhar o que de mim? Eu sou o quê? O que ele tem para falar de mim?

Esperidião

Isso aí eu não sou a favor desse tipo de atitude

Milena

Como que eu fico do lado de uma pessoa desse jeito? Sabe o que é ficar dentro de casa refém? O tanto que eu falei com ele: Hilário, sai de casa pelo menos para refrescar a minha cabeça e conseguir pensar. Não, eu tive que sair de casa. Olha a humilhação. Você sabe na rua o que as pessoas me perguntam?

Sabe o que as pessoas me perguntam do filho do senhor, Esperidião? Se ele me bateu para eu ter saído de casa. Olha a humilhação. Olha a humilhação, gente. Então eu acho que quem tem que ouvir é Hilário.

Esperidião

Mais do que eu falo com ele, minha filha. O que eu estou falando com você eu falo para ele, eu detalho isso em “miúdo” para ele.

Milena

Ele precisa buscar um tratamento, ficar centrado. Isso de ficar ligando, se matando, quem está vindo socorrer é Y. (irmão de Milena), é W. (prima da médica). A gente fica com medo dele fazer alguma coisa. Ele precisa de um tratamento.

Esperidião

Faz nada. A Z. (mãe de Milena) queria dar lição de moral no telefone, falou um palavrão no meu ouvido.

Milena

Chega, senhor Esperidião. Você falou e todo mundo falou. Você errou e todo mundo falou. Agora vem falar da minha mãe também, pelo amor de Deus.

FONTE: GAZETA ONLINE

 Data de publicação - 10/10/2017 07:58:46



Todos os direitos reservados COLINAFM.COM

Rua Horácio Santana, 291 - Ed. Antares Center - 1º Andar - cep 29200-750 - Parque Areia Preta - Guarapari-ES